top of page

O Brasil fez avanços significativos na área de energia renovável



Posicionando-se como líder global. Aqui estão alguns desenvolvimentos notáveis:


1. Energia Solar e Eólica: A capacidade do Brasil de gerar energia renovável supera a média mundial, ficando em 84%.


A participação da energia solar na matriz energética brasileira atingiu 6,9%, enquanto a energia eólica contribui com 10,9%. No ano passado, o Brasil alcançou um recorde histórico na expansão de usinas de mercado livre, com mais de 3 GW instalados, principalmente de fontes eólicas e fotovoltaicas.


2. Energia Eólica: O Brasil é hoje o maior produtor de energia eólica da América Latina e está entre os 10 maiores do mundo. A capacidade de produção local de turbinas eólicas do país foi reforçada pelo Programa de Incentivos para Fontes Alternativas de Eletricidade.


3. Geração Solar: O Brasil promove a geração solar distribuída por meio da medição líquida e do Sistema de Compensação de Energia para Micro e Minigeração.


Atualmente, 70% de sua capacidade instalada é proveniente de energia solar.


4. Biocombustíveis: a política nacional de biocombustíveis do Brasil, RenovaBio, visa reduzir as emissões dos transportes. Incentiva a produção e o consumo de biocombustíveis por meio de créditos de descarbonização.


5. Expansão recente: Em 2023, o Brasil adicionou 7,13 GW ao seu mix energético, com solar e eólica respondendo por 90% desse crescimento. Até 2022, espera-se que a expansão atinja 8,2 GW, com a energia solar e eólica contribuindo significativamente.


6. Investimentos Futuros: O Brasil prevê grandes investimentos em energia limpa. Até 2024, prevê-se que a energia eólica, solar e o gás registrem aumentos substanciais, enquanto a quota das centrais hidroeléctricas poderá diminuir à medida que outras fontes renováveis ​​ganhem força.


Em resumo, o compromisso do Brasil com as energias renováveis ​​é considerado muito importante e continua a desempenhar um papel fundamental no avanço de práticas sustentáveis ​​em escala global.

8 visualizações0 comentário
bottom of page